Campos Neutrais
Escreva subtítulo aqui

Campos Neutrais

Os campos neutrais, estabelecidos no Tratado de Santo Ildefonso, constituíam faixas de terras compreendidas entre a Lagoa Mirim, a Lagoa Mangueira e a costa marítima. Também ficaria reservado, no restante da linha divisória, um espaço suficiente entre as duas nações. Nos campos neutrais, portugueses e espanhóis, não poderiam construir povoações, fortalezas, guardas ou postos de tropas. Assim essa terra ficaria neutra, sendo, também, proibida a passagem de portugueses e espanhóis. A Espanha, ao exigir os campos neutrais, tinha o objetivo de terminar com o contrabando, principalmente da prata do Parti, e evitar o crescimento do comércio livre que já existia nessa região. Esse corredor de terras neutras não impediu o comércio aqui no sul, pois as tropas de mulas e cavalos e a indústria de charque que se desenvolveu ao longo do Canal de São Gonçalo, continuaram a transitar pelo território. Ainda eram comercializados fumo, ponchos e ervas.

Os campos neutrais trouxeram novas preocupações para os moradores de Rio Grande de São Pedro, pois esses territórios atraíram aventureiros, mestiços, índios e brancos rebeldes à ordem, tornando-se uma terra de ninguém. A demarcação dos campos neutrais nunca acabou, sendo que os demarcadores foram até a região de Santa Maria e dali retornaram, após a conquista definitiva da região das Missões.

Índice